Teu

Dar lugar às palavras

À sua mendigagem

Grão a grão enche a galinha o papo

E aqui a galinha se encontra

Com o papo vazio

Bicam bicam

Por conceitos que lhes atiram

Não lhes tiram a sua humanidade

Mas por vezes humanos levantam voo

Outrora foram aviões

Hoje não passam de ícaros

Ou o sol endureceu

Há de ser bela,

A dureza solarenga,

Soa a arte

A alguém qualquer arte há-de soar

Não soem antes esses artistas do desmanchar prazeres

Também nisso há prazer

Não discrimino

Não não discrimino

Eu? Eu sou tão neutro como a fria Suíça

Mas dentro da vossa temperatura

Não há lugar para temperamentais neste mundo facial

Não é que me importe

Eu? Eu nem existo!

Vá, existo para ti e para os teus

Só tu e os teus olhos me fazem existir

Bendito sejas

Meu salvador, mas não me salves

Que também não sou submisso

Totalmente comprometido com o equilíbrio

Mas também não sou fanático por ele, atenção

Nada sou sendo tudo o que desejares

Deus, portanto

Um Deus que te adora

Neutralmente, é claro

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Movimento da História

O movimento da História passa por mim Atinge-me com as suas preocupações e ações concretas Materiais, e deixa ideias esborratadas Arranca-me pensamentos e atos Ao longe, no seu vulto apressado Identif

Luís

Dizem que o amor não tem preço Eu digo que cada lembrança tua pesa-me no fôlego E custa-me ao respirar Dizem que é cego Bem, preferia que fosse Que antes nada visse a ver e não te ver Outros julgam-

Claro

Muito sinceramente Não sei o que me mantém vivo Porque bate o meu coração Que razão tem o meu organismo para funcionar Nada tenho a que me agarrar Com sinceridade o digo Sem pesos, sem levezas Sem uma

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com