A guerra capital

O inimigo investe O hoje nasce morto O amanhã nem nascerá E o seu espólio de vitória É a nossa cabeça, grande demais Para pensar que um David e Golias sairia da Bíblia Depois da primeira pedra arremessada Escondida a fisga e rendida a bandeira Nada há a fazer Senão testemunhar o apocalipse Proferindo as palavras santas Para os cegos infernais Que esse mundo criou Na esperança de lhes suscitar visão Tal e qual criança e seus sonhos Sonhos que por enquanto são pesadelos Mas continuarei a acordar amanhã Se o amanhã vier Isso prometo E que valor têm promessas?

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Movimento da História

O movimento da História passa por mim Atinge-me com as suas preocupações e ações concretas Materiais, e deixa ideias esborratadas Arranca-me pensamentos e atos Ao longe, no seu vulto apressado Identif

Luís

Dizem que o amor não tem preço Eu digo que cada lembrança tua pesa-me no fôlego E custa-me ao respirar Dizem que é cego Bem, preferia que fosse Que antes nada visse a ver e não te ver Outros julgam-

Claro

Muito sinceramente Não sei o que me mantém vivo Porque bate o meu coração Que razão tem o meu organismo para funcionar Nada tenho a que me agarrar Com sinceridade o digo Sem pesos, sem levezas Sem uma

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com