Como posso eu?

Como posso eu

Poetizar o seu sorriso

O seu sorriso por si é poesia

Como posso eu

Vê-lo como a um espetáculo

Se por ele não paguei

Não o valorizei,

Nunca o faço

Talvez por embaraço de cometer ato ilegal

Penso que é normal

Mania pessoal

Mas o banal não me faz suspirar

Tanto ar que gastei

Em vez de ouro, eu sei

Perfeito anormal

Portanto, e como pudestes notar

Não passaram de palavras

E palavras, leva-as o ar

O ar, inspirei-o todo

por exprimir esta expressão

Mas sei que este poema não passa de lodo

Comparado com tal canção.

17 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Pelos labiais

Pensas que ao tomar-te tempo me responsabilizo por ti, mas não Não é o que acontece Não, não, é a tua decisão, tudo o que vês decidiste por ver, tudo o que sentes sentes por ti mesmo, sem bodes alh

O que a minha poesia diz

Falha minha achar que achariam o que queria que achassem Sem o dizer explicitamente Aqui está, O que a minha poesia diz É que são burros Tão burros que até dói Vocês, exatamente Esqueço-me sempre que

Simplesmente

Ah palavras bonitas Que compõem esse senso comum que adotamos por adotar Nesta vida que vivemos por viver Confortavelmente moderados e conformadamente escravos Dessas ideias bonitas que vimos formarem

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com