Conciliação

Sou um menino, assoberbado com a imensidão do mundo

Sou um velho, cansado de a viver

O menino tem medo de a percorrer

O velho não está para isso

Sou moça vendo soldado partir

Triste e insegura

Apesar da amargura

Ao seu encontro não quer ir

Sou Dom Quixote, dono da imensidão do mundo

Sem em toda a sua extensão o conhecer

Dom Quixote sai disparatado

Eu, preciso de me conter

Sou o que sou,

Tu és o que és e eu cá me arranjo

O que importa é o que somos em conjunto

Nem que eu fosse um anjo.

13 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Pelos labiais

Pensas que ao tomar-te tempo me responsabilizo por ti, mas não Não é o que acontece Não, não, é a tua decisão, tudo o que vês decidiste por ver, tudo o que sentes sentes por ti mesmo, sem bodes alh

O que a minha poesia diz

Falha minha achar que achariam o que queria que achassem Sem o dizer explicitamente Aqui está, O que a minha poesia diz É que são burros Tão burros que até dói Vocês, exatamente Esqueço-me sempre que

Simplesmente

Ah palavras bonitas Que compõem esse senso comum que adotamos por adotar Nesta vida que vivemos por viver Confortavelmente moderados e conformadamente escravos Dessas ideias bonitas que vimos formarem

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com