Jogo das cadeiras

Atualizado: Fev 18

Aristóteles, Maquiavel, Marx e Trump. Porque reuniria estas quatro figuras se não fosse por esta ideia tão irremediavelmente unanime: política requer organização? Bem, talvez Trump esteja aqui um pouco comprometido, mas mantenhamo-nos no abstrato. Nem Bakunin discordaria deste axioma, caso contrário não teria posto os pés na Primeira Internacional.

Não podemos fugir à organização na política, mesmo a mais superficial. Assim foi com o parlamento francês do século XVIII, aquele que inaugurou as nomenclaturas hoje indissociáveis de qualquer noção de ideologia – Esquerda e Direita. Na altura, longe de imaginar o tamanho do debate de tais posicionamentos espaciais e o como esse assunto dominaria a política moderna.

Pensem na surpresa de Rousseau ao chegar a uma qualquer assembleia atual e ouvir, como substituta das referências à Igualdade, aclamações ao povo ou disputa sobre a bandeira da Liberdade, a quotidiana música de fundo do nosso querido jogo das cadeiras: “Demasiado à Esquerda”, “Demasiado à Direita”, “Os extremos são todos maus”, “Só no Centro está a virtude”.

Provavelmente teria uma infeliz viagem de regresso. Tanto trabalho com ideias e seus argumentos quando lhe bastava guardar o assento central na Île de la Cité juntamente com a sensatez e inabalável providência que lhe são inerentes.

Vamos assumir, a organização é fundamental, mesmo a que diz respeito à classificação e ordenamento das ideologias por um espectro abstrato, por uma questão de praticidade. Daí a reduzir a legitimidade, validade ou eficácia dessas ideologias ao seu posicionamento nesse espectro vai um longo, desonesto e francamente inacreditável passo.

Se há coisa a ser compreendida para o bem da nossa saúde mental enquanto sociedade é que, quando falamos em extremos tentando equiparar os seus conteúdos apenas pelo nome que partilham, não discutimos uma categoria teórica séria nem equiparamos conteúdo nenhum. Somos mais um dos pastores que, tendo um cão à sua Esquerda e um lobo à sua Direita, guia o seu rebanho através de uma reluzente estrada alcatroada em direção à próxima alcateia.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Anti-racismo marxista

Desde a morte de George Floyd e das suas repercussões no mundo que o racismo ganhou destaque no debate público português. Este foi abordado de três posições: anti-racismo burguês (progressista), anti-

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com