Monstro

Seu monstro! Odeio-te Quem é que faz isto a uma pessoa?! Eu estava bem, estava sossegado E tu Interrompes-me, como se nada fosse Interrompes-me a vida, bloqueias-me o pensamento, interceptas-me o sentimento Fazes-me sofrer... Penso eu que sadicamente Deixas-me mudo, inapto, impotente e inerte Já não durmo, não como, só penso: Nos "como seria bom", nos "hipoteticamente" Nem escrever Sabes que me destroçaste enquanto homem quando já nem escrever consigo Ataste-me as mãos, prendeste-me o olhar e roubaste-me o coração sem sequer ter a decência do devolver Seu monstro! E eu amo-te

18 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Pelos labiais

Pensas que ao tomar-te tempo me responsabilizo por ti, mas não Não é o que acontece Não, não, é a tua decisão, tudo o que vês decidiste por ver, tudo o que sentes sentes por ti mesmo, sem bodes alh

O que a minha poesia diz

Falha minha achar que achariam o que queria que achassem Sem o dizer explicitamente Aqui está, O que a minha poesia diz É que são burros Tão burros que até dói Vocês, exatamente Esqueço-me sempre que

Simplesmente

Ah palavras bonitas Que compõem esse senso comum que adotamos por adotar Nesta vida que vivemos por viver Confortavelmente moderados e conformadamente escravos Dessas ideias bonitas que vimos formarem

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com