Monstro

Seu monstro! Odeio-te Quem é que faz isto a uma pessoa?! Eu estava bem, estava sossegado E tu Interrompes-me, como se nada fosse Interrompes-me a vida, bloqueias-me o pensamento, interceptas-me o sentimento Fazes-me sofrer... Penso eu que sadicamente Deixas-me mudo, inapto, impotente e inerte Já não durmo, não como, só penso: Nos "como seria bom", nos "hipoteticamente" Nem escrever Sabes que me destroçaste enquanto homem quando já nem escrever consigo Ataste-me as mãos, prendeste-me o olhar e roubaste-me o coração sem sequer ter a decência do devolver Seu monstro! E eu amo-te

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Razões

Eu sentir que é mentira Não faz disso uma mentira Faz de mim estúpido O cheiro do desespero tinge Até ao mais belo dos tecidos Até que, conspurcado, seja descartado E eu evitado, por outras razões

O ser e o ser

E somos tudo menos o que somos Falamos, oh se falamos Falamos, mas deixa-me rir O que dizemos não é dito por nós Como eu gostava de conhecer Nem que seja uma só coisa Pessoa Uma boa pessoa Separar o q

Movimento da História

O movimento da História passa por mim Atinge-me com as suas preocupações e ações concretas Materiais, e deixa ideias esborratadas Arranca-me pensamentos e atos Ao longe, no seu vulto apressado Identif

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com