Nossa

O meu sangue

Dou o meu sangue

Todo o meu sangue que é vermelho

É o vermelho da Revolução


O meu coração

Dou o meu coração

O meu coração de humano

E é humana a Causa


A minha garganta

Dou a minha garganta

A minha garganta rouca

Desse grito retido


A minha alma

Dou o meu corpo

Irreverente

Por ti


Não é minha a angústia

Não é meu o sofrimento

Não é minha a dor

É minha a opressão

Que nunca pedi

E vos peço

Que não nos façam viver neste sistema


É nossa a escolha

Vo-la dou

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Movimento da História

O movimento da História passa por mim Atinge-me com as suas preocupações e ações concretas Materiais, e deixa ideias esborratadas Arranca-me pensamentos e atos Ao longe, no seu vulto apressado Identif

Luís

Dizem que o amor não tem preço Eu digo que cada lembrança tua pesa-me no fôlego E custa-me ao respirar Dizem que é cego Bem, preferia que fosse Que antes nada visse a ver e não te ver Outros julgam-

Claro

Muito sinceramente Não sei o que me mantém vivo Porque bate o meu coração Que razão tem o meu organismo para funcionar Nada tenho a que me agarrar Com sinceridade o digo Sem pesos, sem levezas Sem uma

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com