Orar a ti

Fechado aberto

Aberto fechado

Qual é a diferença?

Nenhuma, toda, um misto

Nada não é distinto, tudo é confuso

Não interessa

Porque nos importamos?

A relevância não existe

Nós é que queremos que ela exista

"Nós" também não existe

Eu é que quero que ele exista

Que ela não exista, também era bom

Que não me magoasse ela existir quando digo que ela não existe

E ela existir para outros

E, por estupidez, não existir para mim

Mas tenho a certeza que eu existo

E quero existir sem pesos

Que a minha vida agora seja tão leve quanto a minha vida para a eternidade o é

Sentiria tanto quanto o tempo sente

Inevitávelmente, o branco está à minha espera

E eu não sei de que cor é

Talvez juntas...

Todas as cores juntas dão preto

O preto nada me dá

Por ser tudo, nada me dá

Por ser finito, o infinito não me diz nada


Tu, nada me dizes

17 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Pelos labiais

Pensas que ao tomar-te tempo me responsabilizo por ti, mas não Não é o que acontece Não, não, é a tua decisão, tudo o que vês decidiste por ver, tudo o que sentes sentes por ti mesmo, sem bodes alh

O que a minha poesia diz

Falha minha achar que achariam o que queria que achassem Sem o dizer explicitamente Aqui está, O que a minha poesia diz É que são burros Tão burros que até dói Vocês, exatamente Esqueço-me sempre que

Simplesmente

Ah palavras bonitas Que compõem esse senso comum que adotamos por adotar Nesta vida que vivemos por viver Confortavelmente moderados e conformadamente escravos Dessas ideias bonitas que vimos formarem

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com