Poema

A emoção

O sentimento

E a ilusão

Tortura

Doença

O ridículo

Instabilidade

E o frio

E o sofrimento

As palavras

Tantas

E o silêncio

Os ciclos

O loop da mesma música

Enlouquecer

E estar normal

O desfazer

O incontornável

Inevitável

E o irremediável

A solidão

Má companhia

O companheiro mau

A ausência

E a demasiada presença

E o “entregue”

O “online”

O não

A vida

O não ter vida

O só ter uma vida

E uma vida de solidão

O vai te foder

O desistir

O esquecer

O passado

E eu?

E eu?

E eu?

O fim

O não ter fim

Não haver fim

O que não devia

O que não é suposto quando tudo seria suposto

Tudo menos isto

Tudo menos eu

Eu!

O egocentrismo

O não haver tu

O não saber eu

E o não saber

O tão não saber

Nunca saber

E o nunca o ter sabido

O mesmo agora não poder saber que não sei

O não haver justificação

O não poder haver

E o ter havido

O desgaste

E o constante desgastar

O escrever

E o escrever e não esquecer

E o querer

O querer

Só o querer

E sem vontade

E sem realização

E sem normal

Anormal

Estranho

E constrangedor

E o ineficiente

Impotente

Inócuo

Inexistente

E o existir

Existir apesar de tudo

O existir apesar do nada

Abandono

Morte

Viver

O viver sem vida

E a cama

E o quarto

E a escola

E os amigos

A família

As folhas ressequidas e outonais

O vir o Inverno

E o ser Inverno

O diálogo

A fala

O expulsar

O libertar

A catarse

E a revolução

A net

O conteúdo

O dizer

O pensar

Rir

E humor

E recordar

E cair

Levantar

E o chamar

O chamar

O chamar

O chamar

O chamar…

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Florir

Seria irónico descrevê-la distante Mas se é lá que eu a vejo Brilhante, sempre brilhante Brilho do qual só recebo lampejos Não sei porque a ambiciono Porque haveria eu de saber alguma coisa? Por cada

Al-Cácer, que havia de vir

Alcácer Quibir Fecho os olhos Vejo as horas E lá está ele Como que à minha espera Quimera de tão inocente ocorrência De tão farto relato E tão aborrecida e inquietante despreocupação Dessa tão boa alm

Razões

Eu sentir que é mentira Não faz disso uma mentira Faz de mim estúpido O cheiro do desespero tinge Até ao mais belo dos tecidos Até que, conspurcado, seja descartado E eu evitado, por outras razões

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com