Poesia aborrecida

Poesia

Que aborrecimento

poder dizer tudo

E não ter nada para dizer

Fora outras

a maior tristeza

É não estar livre

ou ter a ilusão de o estar?

Procurar conceitos gerais

que não me refletem

Ou os que me refletem

e não refletem os demais?

Porque escrever

É presunção

Mas esta escrita

Derrota 

Já nem conto sílabas

Deitei fora as fórmulas

O ritmo dai-o vós

Como sempre destes

Ando eu a corroer-me interiormente

Desfazer-me perante vós

Para vós juntardes as peças

a achar que sou máquina

Seria melhor,

Quem não prefere robôs a burros.

61 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Pelos labiais

Pensas que ao tomar-te tempo me responsabilizo por ti, mas não Não é o que acontece Não, não, é a tua decisão, tudo o que vês decidiste por ver, tudo o que sentes sentes por ti mesmo, sem bodes alh

O que a minha poesia diz

Falha minha achar que achariam o que queria que achassem Sem o dizer explicitamente Aqui está, O que a minha poesia diz É que são burros Tão burros que até dói Vocês, exatamente Esqueço-me sempre que

Simplesmente

Ah palavras bonitas Que compõem esse senso comum que adotamos por adotar Nesta vida que vivemos por viver Confortavelmente moderados e conformadamente escravos Dessas ideias bonitas que vimos formarem

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com