Poesia aborrecida

Poesia

Que aborrecimento

poder dizer tudo

E não ter nada para dizer

Fora outras

a maior tristeza

É não estar livre

ou ter a ilusão de o estar?

Procurar conceitos gerais

que não me refletem

Ou os que me refletem

e não refletem os demais?

Porque escrever

É presunção

Mas esta escrita

Derrota 

Já nem conto sílabas

Deitei fora as fórmulas

O ritmo dai-o vós

Como sempre destes

Ando eu a corroer-me interiormente

Desfazer-me perante vós

Para vós juntardes as peças

a achar que sou máquina

Seria melhor,

Quem não prefere robôs a burros.

62 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Razões

Eu sentir que é mentira Não faz disso uma mentira Faz de mim estúpido O cheiro do desespero tinge Até ao mais belo dos tecidos Até que, conspurcado, seja descartado E eu evitado, por outras razões

O ser e o ser

E somos tudo menos o que somos Falamos, oh se falamos Falamos, mas deixa-me rir O que dizemos não é dito por nós Como eu gostava de conhecer Nem que seja uma só coisa Pessoa Uma boa pessoa Separar o q

Movimento da História

O movimento da História passa por mim Atinge-me com as suas preocupações e ações concretas Materiais, e deixa ideias esborratadas Arranca-me pensamentos e atos Ao longe, no seu vulto apressado Identif

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com