Querida filha

Querida filha, Cada vez me convenço mais que a vida é a poesia da poesia E que a própria poesia não serve o significado Para significado serve a vida, mas não o cumpre Podes pensar a poesia como uma decoração Exato, um segmento desconectado do seguimento que lhe possas dar Não o dês O pior que podes fazer na vida é avançá-la Como se fosse um caminho ou algo parecido Como esses vagabundos gostam de vagabundear Não é: vida é vida, apenas e somente presente E é tanto tua quanto tudo o resto não é teu Não é teu esse corpo, não são tuas essas palavras, não é tua a tua fama Mas é tua a vida Não a adores, não é um Deus Não a desprezes, não perdoa ateus Cinge-te a não pensar nela E estarás Tão estarás quanto eu não o estou Engraçado como do texto as palavras não custam a sair Contrasta em muito com os dedos, com a garganta Mas isso são contas de outro rosário E estes rosários são também contas de outros rosários Porque, lembras-te, tudo o resto não nos pertence Quem me dera que pertencesse e que eu pertencesse Mas não possuo nem pertenço Não há parte nem todo Só tu, filha, só tu Aproveita

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Razões

Eu sentir que é mentira Não faz disso uma mentira Faz de mim estúpido O cheiro do desespero tinge Até ao mais belo dos tecidos Até que, conspurcado, seja descartado E eu evitado, por outras razões

O ser e o ser

E somos tudo menos o que somos Falamos, oh se falamos Falamos, mas deixa-me rir O que dizemos não é dito por nós Como eu gostava de conhecer Nem que seja uma só coisa Pessoa Uma boa pessoa Separar o q

Movimento da História

O movimento da História passa por mim Atinge-me com as suas preocupações e ações concretas Materiais, e deixa ideias esborratadas Arranca-me pensamentos e atos Ao longe, no seu vulto apressado Identif

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com