Síntese do azar

Será o angustiado, o insatisfeito e o ambicioso hoje e sempre a mesma pessoa? Pergunto no sentido em que, num mundo que hipoteticamente se distancia deste, perspetivamos, a uma hipotética distância, uma angústia comum a todos os homens. Nesse mundo afastado pela hipótese, uns vivem satisfeitos pois contentam-se com a angústia, que tomam por alegria; e outros, corrompidos pela gula, vivem sob a pena do seu pecado, a tristeza.

Também podemos imaginar um mundo em que o contrário se procede: a tristeza é geral e as dificuldades desiguais. Mas isso é outra história, e a minha dialética não dá para tanto.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Político

Toda a ação com impacto social é uma ação política. Toda a ação política é parcial. Neutralidade, pós-politica, tecnocracia, pragmatismo e objetividade não passam de mitos que compõem as narrativas qu

Juvenil ridicularidade

A juventude serve o ridículo. E tão bem que o ridículo nos serve a todos.

Fukuyamania

Esta paranóia social de que a História já findou e não há mais por onde ir é muito doentia. Tão doentia que a minha geração já toma este mal-estar como paradigma e a derrota como inevitável. Não há vo

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com