Universos e pontos

Um universo

A afastar-se de um ponto

Uma alma

Com origem no equilíbrio

À procura deste mesmo

Uma sociedade

Extremista na sua moderação

Mas no fim converge

Para a utopia

É na fronteira

Que gosto de caminhar

É além desta

Que terreno a desbravar

Temos sempre a perfeita noção

Que tem que haver sempre mais

Isto não é o máximo

É a busca que nos faz fortes

E, no fim

Depois do “tudo” descoberto

Feito o infinito finito

Talvez voltemos

Àquele ponto

Onde nos sentamos a ver

Outras gerações florescer

E partir à descoberta

Nós, vencidos da vida

Sentados no ponto

que demarcámos como certo

Pois é nosso

E foi que descansámos

Repousaremos sobre a esperança

De que não nos incomodem

Com desvarios de quem

Ainda não fez do seu mundo seu

E é um ponto

A afastar-se de um universo.

39 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Razões

Eu sentir que é mentira Não faz disso uma mentira Faz de mim estúpido O cheiro do desespero tinge Até ao mais belo dos tecidos Até que, conspurcado, seja descartado E eu evitado, por outras razões

O ser e o ser

E somos tudo menos o que somos Falamos, oh se falamos Falamos, mas deixa-me rir O que dizemos não é dito por nós Como eu gostava de conhecer Nem que seja uma só coisa Pessoa Uma boa pessoa Separar o q

Movimento da História

O movimento da História passa por mim Atinge-me com as suas preocupações e ações concretas Materiais, e deixa ideias esborratadas Arranca-me pensamentos e atos Ao longe, no seu vulto apressado Identif

©2020 por Braqui. Orgulhosamente criado com Wix.com